O copo menstrual (o que é e como usar)
19 Março, 2018

O copo menstrual pode ser ainda desconhecido para algumas mulheres (ou talvez não), mas a verdade é que veio revolucionar a forma como nós lidamos com a menstruação e a higiene íntima.

Se até há alguns anos não existam muitas alternativas e informação acerca do impacto do uso dos pensos e tampões na nossa saúde e no planeta, hoje conseguimos ter acesso a alternativas mais ecológicas e saudáveis para o nosso corpo.

Não é novidade que sou fã dos copos menstruais, já falei sobre isso no artigo a saúde no feminino. Uso há vários anos e super recomendo, mas confesso que no início não foi muito fácil a adaptação.

Os produtos de higiene íntima

A pele é o maior órgão do corpo humano, mas é também o mais fino e permeável. O que significa que grande parte das substâncias que estão em contacto direto e permanente com a pele, acabam por ser absorvidas.

Estima-se que durante a idade fértil, que dura em média dos 13 aos 45 anos, cada mulher utilize entre 10.000 e 15.000 tampões e/ou pensos higiénicos.

Durante o período menstrual (dura em média 6 dias), os pensos e tampões estão em contacto direto com a mucosa vaginal que é vascularizada, permitindo uma absorção rápida das substâncias.

O problema da grande maioria destes produtos de higiene íntima é que são fabricados com material tóxico para o nosso organismo, como:

  • Dioxina, produto químico (pesticida) usado no branqueamento dos pensos e tampões.
  • Raiom ou Rayon, seda artificial fabricada através de fibras de celulose de algodão branqueado com cloro. É o tecido de base da maioria destes produtos e o que permite a absorção do fluxo menstrual.
  • Viscose, fibra artificial de celulose fabricada através de pedaços de madeira de árvore. Este material permite o toque aveludado.
  • Plástico e ftalatos, derivado de petroquímicos. Muito usado nos pensos higiénicos e nos aplicadores dos tampões.
  • Algodão não biológico, onde são usados inúmeros pesticidas para o seu cultivo e são geneticamente modificados.
  • Neutralizadores de odores e fragrâncias, contêm químicos e substâncias irritantes para as mucosas.

Significa que todos os meses, o nosso organismo absorve alguns dessas substâncias tóxicas e a longo prazo podem provocar problemas como toxicidade, irritações, infeções fúngicas e bacterianas e desequilíbrios do pH e flora vaginal.

Outro fator importante é o impacto ambiental

Se temos em média 6 dias de menstruação por mês, significa que usados (em média) 3 tampões ou pensos higiénicos por dia. Contabilizando, isto dá um total de 18 tampões e/ou pensos higiénicos que descartamos todos os meses e que simplesmente vão para o lixo ou em alguns casos (para a sanita) e vão parar aos nossos oceanos. Como referi acima, a maioria destes produtos tem plástico que não é biodegradável.

O copo menstrual

Apesar de o seu uso ser recente em Portugal, surgiu pela primeira vez em 1932 nos Estados Unidos da América e são uma alternativa aos pensos higiénicos e aos tampões.

O copo menstrual é um recipiente, em forma de cone com uma haste na extremidade que se insere na vagina (tal como um tampão) e que recolhe o fluxo menstrual (mas não o absorve, ao contrário dos tampões).

O fluxo fica retido no copo, até ser retirado. Depois de ser extraído é facilmente lavado com água. O copo menstrual pode ser usado desde o primeiro até ao último dia do ciclo menstrual.

Tamanhos:

O OrganiCup existe em 2 tamanhos disponíveis: *(existem marcas que consideram o tamanho do copo em função da quantidade de fluxo, o que consideramos errado e provoca/provocou más experiências)

Tamanho A: para mulheres que não fizeram parto vaginal (=natural)

Tamanho B: para mulheres que fizeram parto vaginal (=natural)

A diferença entre os tamanhos é muito pequena, no entanto é importante escolher o tamanho certo para evitar fugas.

Composição:

O copo é 100% silicone médico e certificado hipoalergénico. É macio e flexível. Vegan (não testa em animais) e aprovado pela FDA. Adapta-se perfeitamente ao corpo da mulher. Não tem químicos, cloro, cola, perfume, amaciadores ou absorventes. E é seguro para uso interno.

5 passos para usar corretamente o copo menstrual:

1. Esterilizar:

Na primeira utilização e entre os ciclos menstruais o copo deve ser fervido em água. Isto vai permitir uma correta higienização e destruir eventuais bactérias.

Como proceder à esterilização:

  1. Normalmente uso um tacho (comum) com bastante água e deixo que ferva.
  2. Quando a água começa a ferver, coloco o copo lá dentro (deve ficar submerso) e deixo ferver entre 3 a 5 minutos.
  3. Passado esse tempo retiro o copo com uma pinça, seco e guardo no saco de algodão que vem com o copo ou procedo à inserção.

2. Inserir o copo:

A primeira vez pode ser mais complicada e precisa de um período de adaptação (ao fim de algumas tentativas, garanto que se torna mais fácil).

Como proceder à correta colocação:

  1.  Humedecer o copo com um pouco de água antes de colocar.
  2. Existem várias técnicas diferentes de dobrar o copo antes de introduzir e podes pesquisar e testar de forma a encontrares a tua preferida (no YouTube há imensos vídeos com estas técnicas), vou enumerar apenas 2:
    1ª – Espalmar o copo e dobrar ao meio (formando um C)
    2ª – Dobrar uma das bordas para dentro (interior do copo) e apertar com os dedos para não abrir.
  3. Escolher uma posição para colocar o copo (normalmente de cócoras é mais fácil).
  4. Colocar o copo no canal vaginal (sempre dobrado, ou em C ou dobra para dentro “punch-down” e ajustar com o dedo até que a haste fique no interior do canal. (Ver vídeo acima).
  5. Verificar se o copo abriu corretamente, para isso basta colocar um dedo na base, rodar ligeiramente a haste puxar sem retirar o copo. Ele deve oferecer resistência e criar vácuo.

3. Remover o copo

Para remover o copo não é muito confortável se apenas puxarmos pela haste (como fazemos com um tampão) pois o copo está em vácuo e vai fazer pressão. A forma correta de retirar:

  1. Puxar gentilmente a haste até alcançar o fundo do copo.
  2. Com um dedo apertar lateralmente o copo para libertar o vácuo e puxar lentamente até remover completamente e de maneira a que fique direito para não verter. Atenção, em toda a fase de remoção devemos certificar que não há vácuo (isto evita o desconforto de retirar o copo).

4. Lavar

  1. Deitar o fluxo na sanita e lavar bem com água.
  2. Pode ser usado um líquido de limpeza neutro.
  3. Se não estiver em casa costumo limpar com papel higiénico ou uma toalhita íntima.
  4. Depois de limpo voltar a introduzir o copo (processo 2).

5. Guardar

Após o fim de cada ciclo menstrual, proceder à esterilização (mesmo processo do ponto 1) e guardar no saco de algodão que vem com o copo e está pronto a usar no próximo mês.

5 Vantagens no uso do copo menstrual:

1. É comodo:

Dependendo de cada mulher e da quantidade de fluxo, pode permanecer colocado por um período de 12 horas. Normalmente lavo o copo no banho de manhã, coloco e só volto a retirar ao final do dia. Isto evita ter de retirar e lavar fora de casa.

Podemos fazer exercício físico, ir a praia e dormir com o copo sem qualquer inconveniente. Como é feito de silicone maleável, adapta-se perfeitamente ao nosso corpo. Não se sente.

2. É uma das soluções mais ecológicas:

Um só copo menstrual pode durar em média entre 5 a 10 anos. Já imaginaram a quantidade de pensos e tampões que usariam nesse período? Para além disso usamos poucos recursos para a sua higienização. Sem desperdícios. O planeta agradece 🙂

3. Poupamos dinheiro:

O copo custa cerca de 24€ e dura entre 5 a 10 anos. Em menos de 1 ano já rentabilizámos esse valor. Ao fim de 10 anos poupamos imenso dinheiro.

4. Previne infeções:

Ao contrário dos tampões, o copo não seca as mucosas vaginais, permite a lubrificação natural. Como não tem químicos, não interfere no pH e equilíbrio da flora vaginal.

5. Não liberta odores:

Ao contrário do que possamos pensar, o fluxo menstrual não tem um odor proeminente. Em todo o caso, como o copo cria vácuo no interior do canal vaginal, este não deixa passar odores.

3 Desvantagens do copo menstrual

As desvantagens que vou enumerar são as minhas próprias dificuldades no início e sei que muitas mulheres também já passaram pelas mesmas experiências.

1. Não é muito intuitivo ao inicio

Confesso que precisei de uns meses de adaptação. Conheço mulheres que se adaptaram logo desde o primeiro dia e outras que nem por isso. Desde nova que me habituei a usar tampões, pois o meu estilo de vida assim o exigia, mas o copo menstrual pode ser ligeiramente diferente.

Quando olhei para um copo menstrual pela primeira vez pensei “como que raio vou colocar isto?”, a verdade é que nessa época ainda não existia muita informação ou vídeos. Enquanto não nos habituamos é estranho, pois não sabemos bem qual a posição mais correta para o colocar.

O meu conselho:

– Relaxa! Se estiveres tensa, os teus músculos também vão estar e vai criar resistência. Ao relaxar conseguimos que o copo deslize mais facilmente.

– Não desistas! Se não correr tão bem à primeira tenta numa próxima ocasião. As primeiras vezes é mais complicado pois não sabemos se o nosso corpo se vai adaptar (afinal é um objeto que estamos a colocar dentro do nosso corpo), mas com o tempo fica mais fácil.

– Percebe qual o melhor ângulo. Se causar dor ou desconforto, significa que o ângulo de entrada não está correto ou que o copo não está colocado corretamente.

2. Se não for bem colocado pode ter fugas

Durante os primeiros meses de uso pensei “o copo menstrual não é para mim”. Tive de usar pensos ao mesmo tempo pois era frequente ter fugas.

Se o copo não estiver bem colocado e não criar vácuo no seu interior pode sim haver fugas.

O meu conselho:

Depois de colocar, verifica se o copo abriu corretamente, para isso basta colocar o dedo na entrada do canal vaginal e verificar a base, rodar ligeiramente a haste e puxar um pouco sem retirar. Ele deve oferecer resistência e criar vácuo. Se isso não acontecer rodar ligeiramente a a haste para um lado de forma a rodar o copo no interior e verifica novamente.

3. Pode ser difícil de remover nas primeiras vezes

O que fazemos quando pensamos em retirar o copo, basta puxar certo? Errado! A primeira vez que tentei retirar o copo, puxei simplesmente a a haste para baixo e fiz força (literalmente achei que estava a ser sugada, foi doloroso!).

O vácuo criado pelo copo serve para que este não saia do canal vaginal ao tossir ou simplesmente quando fazemos força com os músculos.

O meu conselho:

Para retirar, colocar o corpo num ângulo confortável (costumo retirar de cócoras). Suavemente puxamos a haste até a base do copo chegar à entrada do canal vaginal. Com um dedo pressionamos a base de forma a retirar o vácuo e depois puxamos suavemente.

Ao retirarmos o copo na vertical o fluxo não verte para fora.

copo menstrual

Já conheciam o copo menstrual, usam?

até breve

Vânia

Disclamer:
Este artigo foi elaborado em parceria com a OrganiCup. Apenas trabalho com marcas e conceitos que estejam alinhados com a filosofia do Made by Choices.

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

Vânia Ribeiro

Vânia Ribeiro

Criou o Made by Choices em 2015 com a missão de viver e inspirar para uma vida mais saudável. Autora dos livros As 5 Cores da Cozinha saudável e O Menu da Semana“.

9 Comentários

  1. Inês Fernandes

    Bom dia Vânia,
    Gostei muito do artigo, ando a fazer pesquisa porque vou começar a usar um copo menstrual e fiquei só com uma dúvida. No final do ciclo esterilizamos o copo e guardamos na bolsa de algodão. No ciclo seguinte quando o utilizarmos no primeiro dia esterilizamos novamente?

    Obrigada,
    Inês

    Responder
    • Vânia

      Olá Inês

      Costumo passar por água no início do ciclo e só volto a esterilizar no final.

      Vânia

      Responder
  2. Vânia Ribeiro

    Partilho da mesma opinião Isa ❤️

    Responder
  3. Mulheres e sop

    Muito util este post! Excelente conteúdo, clareza e objetividade. Vai auxiliar muitas mulheres a terem mais conforto no ciclo menstrual 🙂
    Muito obrigada!

    Responder
  4. Isa Monteiro

    Eu uso o copo há, sensivelmente 1 ano e super recomendo. É muito mais higiénico, muito mais prático, passo o dia todo sem qualquer tipo de preocupação, super confortável e gostaria de o ter “conhecido” mais cedo 🙂

    Responder
  5. Joana

    Olá Vânia! Eu já conhecia através do http://www.pegada-verde.pt e é por isso que venho perguntar: qual é entre o organicup e a Lunette?

    Obrigada!

    Responder
    • Joana

      *qual é a diferença 🙂

      Responder
    • Vânia Ribeiro

      Olá Joana, Não tem diferença na utilidade, são apenas de marcas diferentes. Já usei os dois e é igual ?

      Responder
  6. Soraia Coelho

    Aconselho e recomendo vivamente! Tenho um da mesma marca, ainda estou a adaptar-me, mas tem tudo para dar certo! 🙂

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

produtos Made by Choices

Subscreve a Neswletter

Recebe gratuitamente o eBook “7 pequenos-almoços para a semana”

Categorias

Receitas Saudáveis

Na cozinha

Vegetariano 101

Sustentabilidade